Find us on Google+

Hip Hop DX publica sua avaliação sobre o álbum “Purpose” em matéria exclusiva

Depois de quase dois anos de férias, Justin Bieber lançou o seu mais novo álbum e sucesso no mundo todo, ‘Purpose‘ no último dia 13 de Novembro e, com toda a divulgação da parte dos fãs e da equipe do astro, além do seu trabalho duro para fazer com que o seu novo projeto saísse do jeito que desejava, o ‘Purpose‘, que conta com 19 faixas no Deluxe, estreou em primeiro lugar na Billboard 200,  lista que classifica os 200 álbuns e EP mais vendidos nos Estados Unidos da América, publicado semanalmente pela revista Billboard.

Como o álbum ainda é recente, muitos sites ainda estão publicando suas avaliações. O Hip Hop DX publicou a sua recentemente, e você pode conferir abaixo:

Logo após um relacionamento a longo prazo com a Pop Star Selena GomezJustin Bieber mistura as angústias da pós-adolescência, a produção pronta do pop do século 21 e sua própria incrível ética de trabalho para Purpose, seu quarto álbum de estúdio lançado agora.

Mais importante, se você acha que ouviu esse álbum há 7 anos atrás e se chamava “Year Of The Gentleman” do Ne-Yo, você estaria um pouco certo. O padrão de hinos house-music prontos para as boates mascarados de R&B, baladas sérias e produções pop que soam como a melhor das musicas inteiramente inspirada pelas técnicas de design de som de Timbaland e Pharrel estão todas aqui. Substitua “Closer” de Tor Erik Hermansen e Mikkel Storleer Eriksen por “Where Are U Now” a música dos americanos Diplo e Skrillex, e “Love Yourself” do Benny Blanco por “Part of The List” de Chuck Harmony e a fórmula clássica do Ne-Yo é atualizada para a época moderna.

O que nós já ouvimos do álbum está aqui e ainda assim é muito relevante pro pop e muito bom. Diplo e Skrillex tem uma mãozinha na produção de “Where Are U Now,” “What Do You Mean” e “Sorry,” e o trio de musicas é todo conduzido por baixo em uma variação de musicas house emotivas. Dessa forma, os vocais do Bieber são mais vistos aqui como uma arma de destruição em massa de pistas de dança e Radio Pop. É o truque mis velho na indústria da música pop, apenas atualizado para uma idade onde tropical house, funky e “Dembow” do Reino Unido tem um reinado supremo. “The Feeling” música extensamente trap-soul que Halsey participa literalmente tem todos os sentimentos. Skrillex cria um ambiente e uma melodia cintilante, e estando você nessa para quase deslizar até o fim do chão ou pelo Bieber cantando “am I in love, or am I in love with te feeling” é um desses momentos onde esse álbum aponta para o simples e ainda assim profundo e o alcança. Tem um lugar onde cantar, escrever musicas e produzir às vezes converge e encontra algo perfeito, e essa é uma dessas vezes.

“Love Yourself” é uma balada de guitarra produzida por Benny Blanco que foi mal da melhor forma. Ninguém menos que a nova estrela do soul-folk-pop Ed Sheeran da assistência a Bieber ao escrever a música aqui, e quando apresentados com “my mama don’t like you and she likes everyone, and I never like to admit that j was wrong… and if you like the way you look so much, oh baby you should go and love yourself,” só podemos imaginar o gole profundo e o “ok” envolvidos nesse processo.

O rap também está nesse álbum, é claro que Nas se juntando para “We Are,” enquanto Big Sean e Travi$ Scott arrasam com “No Pressure” e “No Sense.” Para a proposta tímida do pop-rap, as últimas duas perfomances foram o ponto alto. É quase proposital que Sean cante rap em “No Pressure” já que desde seu lançamento recente do suposto hino de beijo de despedida de Naya Rivera “I Don’t F*** With You,” ele certamente sentiu uma mínima pressão em relação à sua carreira e é um grande colaborador para Bieber. Parece corajoso, e ainda sentimental que a produção de “No Pressure” tenha a afirmação do Bieber que “o amor não faz sentido quando é vazio” e quando Scott diz que ele vai “enrolar e botar um fogo nisso,” e ele está falando sobre ficar chapado para lidar com um término, não é tão elogiado, mas definitivamente coloca um ponto final enfático na música.

“Life Worth Living,” “Children” e “Purpose” fecham o que é um ótimo álbum de uma forma que parece falso e chato. Desse trio, “a juventude é o futuro” (ou como diria Kanye, “escutem as crianças”) a música “Children” pode ser a mais enjoativa. Por mais que Skrillex seja um misturador de gêneros ex pop-punk rocker, ele também é amado pela primeira multidão que vive por grandes vocais de baladas. Como tudo nesse álbum, o nível do trabalho por Bieber como um pop star no topo da indústria é exemplar. É só que em um álbum que executa um nível excedente do já mencionado brilhante álbum do Ne-Yo, uma música como essa não é boa.

Em relação a esse álbum, o empresário do Bieber, Scooter Braun, constatou que nós veríamos o verdadeiro Bieber. Nós percebemos isso, e como esperado, é brutal é revelador. Mas mesmo assim, quando combinado com produtores pop, aparentemente no topo do seu trabalho, esse álbum oscila. É quando a honestidade do Bieber parece menos honesta e as musicas parecem menos arrebatadoras e o álbum cai do topo que ele deveria estar. Agora livre das agonias de um coração partido e agora talvez descobrindo seu melhor som e estilo, Justin Bieber tem um futuro brilhante lê-la frente, e possivelmente achou seu propósito como artista.

Source: Bieber Fever Brazil

by
Hip Hop DX publica sua avaliação sobre o álbum “Purpose” em matéria exclusiva

Posted in Latest News and tagged by with no comments yet.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *